Dizendo adeus: Demitindo um funcionário antigo da clínica

Nunca é fácil desistir de alguém que esteve do seu lado desde o começo. Mas algumas vezes, é a única escolha. Aqui está como o fazer com suavidade.
Por Brian Conrad

Ele está com você há mais tempo do que se lembra. Quando o nome dele é mencionado, “leal” e “dedicado” são as palavras que vem à cabeça. A idéia de ter que dizer adeus é inimaginável.

Como líder em um hospital veterinário, você já passou por esta estrada antes – talvez vezes demais. Você percebe-se tentando ignorar sinais de que o fim está próximo. Mas ao passar do tempo, os problemas se tornam mais persistentes e severos. Ainda assim, você luta com a decisão. Dizer adeus é realmente a melhor opção para todos?

É difícil desistir de um funcionário de longa data. Afinal, ele provavelmente esteve  com você nos altos e baixos. Ele pode contar estórias dos velhos tempos quando a clínica era pequena e as agendas eram mais simples.

Mas algo mudou com este membro da equipe. Talvez um ar de convencimento se instalou, sua performance começou a oscilar, e seu respeito pelos outros diminuiu. Neste caso, é hora de tomar uma dura decisão.

Ser conivente com status

Se eu entrevistasse a sua equipe, eles identificariam alguém (ou algumas pessoas) como intocáveis? Se positivo, você tem um funcionário com status elevado. Este funcionário tem o seu próprio conjunto de regras. Talvez ele fique conversando no celular na recepção, discuta com outros membros da equipe de maneira inapropriada, chegue atrasado, ou estacione o carro dele na vaga dos clientes – tudo sem maiores consequências.

Você pode não ter intencionado chegar a este ponto, mas pode apostar que sua equipe já percebeu – e não gosta nem um pouco. “Dois pesos e duas medidas” gera ressentimento do resto da equipe. Neste estágio nada é mais justo do que nivelar o tratamento. Ao ser conivente com o comportamento elitizado de um funcionário, você limita o crescimento e a prosperidade do resto da equipe, ao não oferecer um ambiente coerente e motivador.

Ainda assim, muitos donos de clínica e gerentes nesta situação hesitam em tomar atitudes. Eles equilibram as ações do membro da equipe com os muitos anos de contribuição e concluem que o peso da longa data é maior do que o do comportamento abusivo. Eles não entendem que enquanto estão empurrando o problema para debaixo do tapete, a moral dos funcionários, produtividade e até mesmo lucratividade estão caindo. A frustração se torna raiva, e alguns membros da equipe certamente estão de olho em outras ofertas de emprego por aí.

Ajustar a mudanças

A boa notícia é que se você se encontrar nesta situação, você não está sozinho. Muitas clínicas veterinárias precisam dar adeus a um membro específico da equipe. Na verdade, muitos destes funcionários problemáticos compartilham de certas características. Eis aqui as razões mais comuns para você demitir um funcionário de longa data:

O consultório está mudando de direcionamento. Todos os donos e gerentes de consultório precisam fazer modificações, periodicamente, para atender as necessidades e desejos dos clientes e manter uma margem competitiva. E funcionários de longa data frequentemente lutam contra estas mudanças. Eles podem perguntar, “o que há de errado com a maneira como sempre fazemos?” ou “por que estamos mudando isto? Não vai funcionar nunca.”

No entanto, é normal para todos os membros da equipe uma certa hesitação ou resistência em tempos de transição. Mas torna-se um problema quando esta resistência sufoca o seu crescimento como clínica. Por exemplo, se você incorporar um serviço novo na sua clínica mas um funcionário que não está no barco der uma explicação fraca da sua importância, como você espera estes clientes a cumprir suas recomendações? Ou se você começar a abrir em domingos, como deixar que um membro da equipe mantenha a sua agenda antiga enquanto o resto se alterna nos plantões? Quando você cria dois pesos e duas medidas, você está privilegiando o empregado de longa data, tratando-o de forma diferente ou especial. Ao fazer isto, você está dizendo ao resto de seus funcionários que eles não são tão importantes.

Em tempos de mudança, você precisa dos funcionários mais antigos no barco desejando sucesso para a clínica. Então sente-se com eles e explique como as mudanças os afetarão. Defina em detalhes seu papel contínuo e valorizado pela empresa. Transforme os que duvidam nos que apoiam, e assista enquanto eles se tornam os melhores defensores da empresa.

Mas e se você tomou estas precauções e o seu funcionário ainda se recusa a abraçar as mudanças? Em um grupo, talvez você perceba como, enquanto a maioria dos membros da equipe estão empolgados com as novidades, ele está condenando a iniciativa ao fracasso. Neste caso, faça uma reunião pessoal para discutir o problema e permitir que o funcionário dê vazão às suas frustrações. Então escute e observe o resto da equipe. Na maioria dos casos, você vai descobrir que a maioria não compartilha da mesma atitude destrutiva. Se o funcionário problemático não subir no barco, está na hora de dizer adeus.

O funcionário está passando por mudanças pessoais. Como todos, membros da equipe passam por diversas mudanças na vida, algumas por opção própria e outras por força maior. Estas mudanças podem afetar seu foco, performance, disponibilidade e prioridades pessoais. Como as necessidades e desejos dos funcionários mudam, é importante que você se sente com eles e discuta expectativas e desejos – deles e as suas.

Se tudo ocorrer bem, você pode criar um plano que deixa todo mundo satisfeito. Mas tenha cuidado; digamos que um funcionários de 10 anos decide que quer personalizar seus turnos para encontrar a filha antes e depois da escola. Enquanto você geralmente pode negar um pedido destes, pode ser difícil dizer não a um empregado de lonnga data. E se você disser sim, o que os outros funcionários – especialmente os com filhos – vão pensar? Antes de concordar com um pedido especial, dê um passo para trás e se pergunte, “como isto afetará o resto da minha equipe? Esta mudança servirá aos propósitos da clínica?” Afinal, você ainda precisa manter um hospital lucrativo, então você não pode ceder a todos os pedidos. Uma boa equipe gerencial vai dar apoio para os funcionários em crises de curta duração, seja uma morte na família, um problema de saúde ou alguma outra crise. Mas circunstâncias de longo prazo podem ser um problema quando um funcionário não pode mais cumprir suas tarefas.

Faça tudo que puder para manter seus funcionários felizes, mas compreenda que você não pode criar um cargo adaptado a um estilo de vida. Mantenha ao máximo um nível igualitário. Se um funcionário precisa sair mais cedo em um dia de semana para pegar seus filhos na escola, talvez ele possa trabalhar alguns fins de semana por mês. Procure  estes compromissos para manter as coisas justas para todos.

A clínica está crescendo rápido. Clínicas e consultórios veterinários podem entrar em períodos de crescimento acelerado quando constroem ou reformam, oferecem horários ampliados, lançam novos serviços, ou fazem campanhas de marketing de sucesso. Se a equipe gerencial não souber lidar com este crescimento, pode levar a contratações desnecessárias, serviço inconsistente ao consumidor, sistemas ineficientes, despesas infladas, e exaustão da equipe.

Quando um crescimento rápido ocorre, funcionários de longa data podem achar que as coisas estão fora do controle. Antes, sentiam-se confortáveis e tinham domínio dos procedimentos da clínica. Agora com os novos sistemas sendo implementados – mais contratações, mais treinamentos, agendas mudando a todo instante – estão todos inquietos. E não hesitarão em compartilhar suas opiniões com quem se dispor a escutar. Você pode escutar comentários como “está tão frio e empresarial agora”, ou “a gerência só pensa no dinheiro”.

Quando isto acontece, é hora de sentar e ter uma conversa bem pessoal. Explique os benefícios do crescimento da clínica e as oportunidades que o sucesso vai oferecer ao funcionário. Reforce a importância do cargo do seu funcionário, e como o apoio dele é vital para o sucesso da clínica. Talvez ele tenha uma opinião diferente sobre como alcançar os objetivos da clínica. Mas se ele continuar desafiando os objetivos em si, pode estar na hora de seguir caminhos diferentes.

O funcionário está esgotado. Quando nós, como donos e gerentes, estamos lutando para crescer nosso negócio e o tornar um recurso melhor para clientes e pacientes, nós exigimos muito dos membros dedicados de nossa equipe. E ao fazer isto, é fácil para nós esgotá-los. Estes funcionários querem impressionar a gerência, e pensar em dizer “não” é doloroso para eles.

No entanto, junto com o crescimento da clínica, também cresce a responsabilidade da equipe de gerenciamento. Depende de você evitar a sobrecarga de qualquer funcionário. Delegue funções de maneira igualitária e justa, e acompanhe de perto funcionários-chave. Acompanhe sua equipe de perto para sinais de esgotamento. Estes sinais podem incluir um pavio mais curto que o normal, atrasos, aumento de atestados de saúde, reclamações dos clientes ou colegas, atitude desagradável, tomada de decisões descuidada ou exceder limites.

É importante manter funcionários antigos desafiados e motivados. Quando você avistar sinais de esgotamento, sente-se e discuta suas preocupações com o funcionário. Ele irá ou negar o problema ou o reconhecer. Sinta-se livre para aceitar um pouco da culpa – talvez você tenha posto peso demais na balança dela. Se você encontrar uma maneira de determinar objetivos e princípios e resolver o problema, ótimo. Se não, tente descrever a situação para alguém de fora da clínica. É mais fácil para quem é de fora ver o que precisa ser feito – e algumas vezes, isto significa demissão.

Desistir

Desistir de um empregado de longa data é excruciante. Ninguém gosta de infligir dor em alguém importante. Então prepare-se para experimentar uma desagradável montanha-russa de emoções, mas não deixe elas ditarem a sua decisão; foque-se em dados objetivos. Pergunte a si mesmo o que é melhor para a sua clínica, sua equipe, seus clientes, e os animais que você atende para ajudá-lo a se guiar na direção certa.

Se você realmente disse adeus, talvez você não sinta alívio instantãneo. Na verdade, você provavelmente entrará em um processo de luto, bem como o resto da sua equipe. Certifique-se de mostrar respeito e apreço pelas realizações do ex-funcionário. Como em qualquer luto, o tempo cura a maioria das feridas. Você sentirá uma nova inércia ao empurrar a empresa para frente, e ao manter um conjunto de padrões para todos os membros da equipe você terá relações profissionais mais saudáveis e mutuamente benéficas.

Brian Conrad é gerente do Meadow Hills Veterinary Center em Kennewick, WA, EUA. 

Traduzido e adaptado de DVM360.

E você, já passou pela experiência de demitir alguém antigo? Compartilhe sua experiência!

Animal Marketing

Anúncios

Sobre Animal Marketing
Animal Marketing é uma central de informações, eventos e recursos sobre gestão e marketing no Mercado Pet, e mais especificamente, na Clínica Veterinária de Animais de Companhia no Brasil. Entre em contato conosco! animal.mkt@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: