9 Coisas que Motivam Mais os Funcionários do que Dinheiro

Não mostre a eles o dinheiro (mesmo que você tenha). Eis nove maneiras melhores de incrementar a moral.

A habilidade de motivar funcionários é uma das maiores que um empreendedor pode ter. Há dois anos, percebi que eu não tinha ela, e então contratei um CEO que tinha.

Josh tinha 12 anos de experiência no mundo corporativo, que incluía gerenciar um dos departamentos principais na Comcast. Eu sabia que ele era experiente, mas ainda estava cético no começo. Estávamos passando por algumas dificuldades, e pensei que nosso pouco dinheiro tornaria extremamente difícil melhorar da moral da empresa.

Eu estava errado.

Com a ajuda dele e a dos grandes líderes de equipe que ele pôs no lugar, Josh não apenas reconstruiu a cultura, mas também criou uma equipe apaixonada e trabalhadora, que possui tanto compromisso de crescer e melhorar a companhia como eu.

Aqui estão nove coisas que aprendi com ele:

  1. Seja generoso com elogios. Todos querem, e é uma das coisas mais fáceis de dar. Ademais, elogios do CEO são mais eficientes que você pensa. Elogie cada melhoria que você ver a sua equipe fazendo. Quando você estiver confortável ao elogiar individualmente seus funcionários, tente elogiá-los na frente dos outros.
  2. Livre-se dos gerentes. Projetos sem gerentes de projetos? Não soa muito certo! Tente. Remover a liderança ou supervisão de um projeto, e delegar à sua equipe trabalharem como um time, ao invés de todos responderem a um indivíduo pode fazer maravilhas. Pense, o que é pior do que decepcionar seu supervisor? Decepcionar sua equipe! Permitir que as pessoas trabalhem como um time, em um nível de igualdade com seus colegas, frequentemente produzirá projetos melhores mais rápido. As pessoas chegarão cedo, irão embora tarde e dedicarão mais energia para resolver problemas.
  3. Torne suas idéias deles. As pessoas odeiam ouvir sobre o que fazer. Ao invés de falar a elas o que você quer feito, pergunte a elas de uma maneira que as faça sentir que tiveram a idéia. “Eu gostaria que você fizesse assim” se torna “você acha que é uma boa idéia fazer assim?
  4. Nunca critique ou corrija. Ninguém, e eu falo sério, ninguém quer ouvir que eles fizeram algo de errado. Se você está procurando algo desmotivador, é isso. Tente uma abordagem indireta para fazer com que as pessoas melhorem, aprendam com seus erros e os corrijam. Pergunte, “essa foi a melhor maneira de abordar o problema? Por que não? Você tem alguma idéia de como poderia ter feito diferente?” Assim você tem uma conversa e discute soluções, ao invés de apontar o dedo.
  5. Faça de todos um líder. Destaque as virtudes dos seus melhores funcionários, e informe-os que pela sua excelência, você quer que eles sejam um exemplo para os outros. Você aumentará o nível esperado, e eles serão motivados a manterem o papel de liderança.
  6. Leve um funcionário para almoçar uma vez por semana. Surpreenda-os. Não anuncie que você está estabelecendo uma nova política. Literalmente vá a um de seus funcionários, e o convide para um almoço. É uma maneira fácil de lembrá-los que você nota e aprecia seus trabalhos.
  7. Dê reconhecimento e pequenas recompensas. Essas duas coisas vem de muitas maneiras: dê uma salva de aplausos para alguém na empresa que tenha realizado algo importante. Faça concursos ou jogos internos, e registre os resultados em um quadro que todos possam enxergar. Recompensas tangíveis que não quebrem o banco também podem funcionar. Tente coisas como jantar, troféus, serviços de spa e placas comemorativas.
  8. Dê festas da empresa. Fazer coisas como um grupo pode ir longe. Tenha um piquenique da empresa. Organize festas de aniversário. Faça um happy hour. Não espere até as férias para fazer uma atividade dessas; organize eventos ao longo do ano para lembrar a equipe que vocês estão no mesmo barco.
  9. Compartilhe as recompensas – e a dor. Quando a sua empresa estiver bem, celebre. É a melhor época para que todos saibam que você é grato pelo trabalho duro. Faça o possível para mostrar o quão longe você irá quando as pessoas ajudam a sua empresa a ter sucesso. Se houverem decepções, compartilhe essas também. Se você espera alta performance, a sua equipe merece saber onde a sua empresa se encaixa. Seja honesto e transparente.

Ilya Pozin fundou sua primeira empresa, Ciplex, com 17 anos. A agência de criatividade e marketing digital serve pequenas empresas e startups. A Ciplex tem sua matriz em Los Angeles, com escritórios em Nova Iorque, Jerusalém, Sérvia e Alemanha, e recebeu o prêmio Inc.500/5000 por dois anos consecutivos. Em 2010, Ilya contratou um novo CEO e se tornou Presidente/CMO para que pudesse se focar em construir novas empresas. Originário da Rússia, ele atualmente reside em L. A. com sua esposa e filha.

Traduzido e adaptado de Inc.com

Ótima semana!

Animal Marketing

Clínica é acusada de abandonar animais para adoção

Dono do estabelecimento deixou o local assim que percebeu a presença dos fiscais
Do Record Notícias

Uma história chocante de descaso com os animais envolve uma clínica veterinária de Porto Alegre (RS). O estabelecimento é acusado de ter abandonado cães e gatos para doação num matagal.

O dono da clínica foi seguido de carro por um cinegrafista amador. Numa rua de pouco movimento, o automóvel parou e deixou uma caixa de papelão fechada.

Dentro dela, foram encontrados filhotes de cachorro e gato. Uma testemunha confirmou a denúncia à equipe do Record Notícias.

– Eu consegui que ele abrisse a porta dos fundos e, lá dentro, encontrei três gatos e dois cães, num ambiente sem ventilação, numa caixa, sem água e sem comida. Eles estavam provavelmente já prontos para serem levados para algum lugar.

Fiscas da Secretaria dos Direitos dos Animais fizeram uma visita ao lugar procurando pelo dono. Assim que soube da presença da reportagem e dos fiscais, ele deixou o local.

Segundo os fiscais, o dono será investigado. E, caso seja confirmada a infração, a clínica pode ser suspensa ou até fechada.

Assista ao vídeoe fique por dentro dos detalhes.

De R7.com.

ATUALIZADO EM 01/12/11:

Conselho autua agropecuária
Devido a inúmeras denúncias, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS) fiscalizou e autuou a agropecuária acusada de abandonar filhotes para adoção, na Capital. O CRMV-RS constatou ausência de médico-veterinário, responsável técnico, apesar de o estabelecimento oferecer a atividade de clínica veterinária. Foram dois autos de infração, e o dono da loja tem 30 dias para se regularizar.

Do Correio do Povo.

Qual o impacto desta notícia na credibilidade de clínicas veterinárias pelo país? Não será a baixa remuneração do setor um reflexo deste tipo de postura?

Valorize a responsabilidade!

Animal Marketing

10 reclamações de proprietários de animais que realmente incomodam veterinários

Por Patty Khuly

Em uma coluna para o jornal USA Today, não pude evitar de demonstrar as formas que certos clientes dispõem para incomodar com seus protestos. Tive uma semana caótica, então a coluna meio que se escreveu sozinha e se enviou por e-mail antes que tivesse chance de recuar. Isto é sempre ruim.

Pelos meus esforços, fui presenteado com e-mails depreciativos e comentários sobre a minha compaixão com clientes, de pessoas dizendo que nunca gostariam de visitar um veterinário que pense tão mal deles. Hmm, pensei…talvez eles estejam certos, e eu tenha sido duro. E talvez não.

Alguns proprietários de animais me roubam a paciência. São aqueles cujos lamentos, gemidos e mãos se contorcendo exageradamente fazem com que eu e minha equipe queira torcer seus pescoços. Vocês sabem quem eles são. Eles não são seus favoritos, tampouco. Eles são igualmente dispostos a devolver comida em restaurantes e rotineiramente declarar guerra a quem quer que esteja atrás de um balcão. Cansativo, não?

Em um ambiente veterinário, tais chorumelas exibem formas específicas. Como uma tentativa de exorcisar os demônios de uma semana difícil (e para o seu entretenimento, claro), eis uma lista das reclamações mais comuns de proprietários de animais que escuto.

1. O lamento do animal grátis
“Este [insira espécie aleatória] GRÁTIS está me custando centenas de dólares!”

Preciso explicar por que esse choro soa como unhas em um quadro negro?

2. Negação da extração dentária

“Mas tive cães a minha vida inteira e nunca nenhum precisou de toda essa odontologia cara – e todas essas extrações!”

Você tem certeza disso?

Estes proprietários querem que seus animais mantenham os dentes, mas não possuem vontade ou capacidade de fazer o que é necessário para cortar o mal pela raíz. Tampouco estão dispostos a aceitar que algumas doenças simplesmente estão além do nosso controle.

3. O protesto do animal doente
Um corolário ao número dois:

“Por que todos os meus animais ficam doentes?”
“Como pode?”
“O que você vai fazer?”
“Por que ele não está melhorando?”

Para os quais só posso responder, “com a sua ajuda, faremos o máximo para recuperar seus animais. Só podemos fazer até onde nossa tecnologia e a sua cooperação (fundos, algumas vezes) permitem.”

Entendo esse protesto, realmente entendo, parcialmente por que minha família animal é comumente atingida por todo tipo de problemas bizarros e estressantes que nem sempre são tratáveis. Mas para se queixar do veterinário, como se fosse efetivamente culpa dele que o seu animal contraiu a doença X (como muitos clientes fazem), é completamente injusto e altamente contraprodutivo.

4. O choro da obesidade
“Mas ela não come nada! Como vou fazer ela perder peso?”

Não sei, mas algo na cintura dela me diz que você está a alimentando demais, independente do que você considera uma quantidade razoável.

5. O lamento do pêlo perdido
“Por que você cortou os pêlos entre os dedos?” ou, “você precisava raspar todo esse pêlo só para o ultrassom na barriga?”

Acorde: é apenas pêlo!

6. Ela vomitou pelas últimas duas semanas, mas preciso de uma consulta AGORA
É facil dizer “sua emergência não é nosso problema!”, mas a realidade é o oposto, já que não é culpa do paciente que seu dono tenha esperado até o último minuto.

7. “Encontrei ela no meio da rua…posso deixar ela com vocês?”
Por mais que eu queira ajudar (e irei), isso não é um abrigo. E espero que você também faça a sua parte.

8. “Preciso acertar isso com vocês…”
O que é um pedido perfeitamente aceitável que a maioria de nós pode acomodar de uma forma ou outra (CareCredit é o plano de financiamento que nosso hospital usa). Mas esperar pagar do jeito que você bem entende é outra história. Afinal de contas, um hospital veterinário não deveria fazer papel de plano de saúde e banco.

9. O pesadelo do filhote de pet shop
Você poderia ficar surpreso com a negatividade que recebo de alguns proprietários quando explico os muitos problemas que a compra “bem pesquisada” pela internet de filhotes de “alta qualidade” possui. Tudo de doenças congênitas de olho e sopros cardíacos a doenças hereditárias de articulação…as pessoas podem ficar mal-humoradas.

Mas eu sou apenas o mensageiro!

10. Impaciência não é uma virtude
Quando você aparece vinte minutos depois do seu horário e espera ser atendido rapidamente…bem…digamos que suas expectativas não são realistas.

***

Então, dá pra dizer que tive uma semana ruim? Mesmo assim, talvez eu devesse seguir o meu próprio conselho e manter meus resmungos para mim mesmo, mas agora é tarde.

O que você acha? Fui longe demais?

Traduzido e adaptado de care2.com

E você, como lida com clientes problemáticos aqui no Brasil? Em breve, um artigo nacional sobre o assunto!

Animal Marketing

Impulsione negócios na sua clínica usando letreiros

Boost business in your veterinary practice by using signage
Um estudo recente descobriu que compradores tomam decisões importantes baseados em pistas visuais.

Se a porta da sua clínica veterinária simplesmente não balança como antigamente, pode estar na hora de investir em letreiros de qualidade. Uma análise de pesquisa de mercado da Universidade de Cincinnati envolvendo mais de 100 mil lares norte-americanos descobriu que compradores são atraídos a empresas e fazem deduções de qualidade importantes a partir de letreiros.
Na verdade, quando consumidores foram questionados a graduarem a utilidade percebida de várias mídias, apenas a televisão estava acima dos letreiros como a fonte mais útil de informações sobre novos produtos.

Ponto do Cão Clínica e Pet Shop, em Porto Alegre, RS

De acordo com o pesquisador James J. Kellaris, “embora a televisão tenha sido avaliada como a fonte de informações sobre novos produtos mais útil, a sinalização interna (como aquelas no ponto de venda, como sinalização no final de corredores ou em caixas) empatou com anúncios em revistas como a segunda fonte mais útil. E sinalização externa ficou em terceiro, seguida por anúncios no rádio, internet, e finalmente, jornais.”

Ele acrescentou, “portanto, o que descobrimos é que sinalização, uma forma básica de tecnologia e comunicação que surgiu na antiguidade, funciona até hoje mesmo na atual era da Internet.”

A pesquisa também explorou um problema importante de acuidade visual: dirigir nas proximidades e não conseguir encontrar uma empresa por seu letreiro ser pequeno demais ou confuso. Cerca de 50 por cento de consumidores estadunidenses relata que isso aconteceu a eles. Embora o problema seja universal entre sexos e regiões, ele varia entre grupos de idade. Surpreendentemente, este não é um fenõmendo de “cidadãos idosos”, uma vez que grupos jovens e idosos relataram maiores falhas de comunicação de letreiros do que grupos intermediários (35 a 49 e 50 a 64 anos).

Traduzido e adaptado de DVM 360 e do site da Universidade do Cincinnati.

Seja visível para o seu cliente! Não subestime o valor de um bom letreiro.

Ótima semana!

Animal Marketing

Workshop de Gestão de Clínicas, Petshops e Salões de Banho e Tosa

 

Workshop de Gestão de Clínicas, Petshops e Salões de Banho e Tosa
Data : 27 de Novembro de 2011
Horário: 9:00 às 17:00
Local: Belém Soft Hotel (antigo Hotel Equatorial) – Salão Diamante – Av. Braz de Aguiar 612

Temário
Produtos certos x sucesso de vendas
Transformando sua equipe em “ Os Melhores do Mundo!”
Satisfazer e surpreender seus clientes!
Como dispor e apresentar os produtos comercializados!
Serviços diferenciados para o Banho e Tosa

Metodologia: Discussão de cases e apresentação de propostas
Público alvo: Médicos Veterinários, Acadêmicos, Donos de Petshops, Lojistas, Vendedores e Gerentes, Profissionais de Higiene e Estética Animal e pessoas interessadas em investir no Mercado pet

Investimento: R$ 100,00
Vagas: 30

Inscrições e Informações: cdrc_belem@yahoo.com.br

Prepare-se para os desafios de 2012 ainda em 2011!

Animal Marketing