Você sabe ser Responsável Técnico?

Por Rebecca Dung de Andrade, CRMV RJ 6489

Nosso mercado atingiu a maioridade. Afinal, ele nasceu na década de 80. A necessidade de profissionalização pet urge de maneira gritante pois os clientes de hoje estão a cada dia mais exigentes em relação à prestação de serviços e aquisição de produtos. Muitos já chegam ao petshop já cansados de erros e insatisfações geradas em outros estabelecimentos.

O cliente do mercado atual é conhecedor dos instrumentos legais de defesa dos direitos dos consumidores e, portanto, esperam e cobram o melhor em atendimento para o seu animal de estimação.

Dentre os personagens deste cenário pet, vamos destacar um que merece total relevância, dada a sua valiosa e indispensável função. Personagem este que em sua essência seria, digamos assim, o protagonista de qualquer “novela” de horário nobre televisivo. Infelizmente este personagem está, como sempre esteve, relegado ao papel de figura decorativa, persona non grata deste complicado enredo, já que sua presença é uma imposição contratual do CFMV/CRMV´s e o comerciante acredita que está tendo um gasto a mais nas suas contas mensais…e por outro lado, o médico veterinário simplesmente não sabe quais seriam as suas tarefas durante as 6 horas carga horária mínima) em que ele estaria como RT dentro do estabelecimento…

Sendo assim, criou-se uma cultura equivocada, alimentada por esses hábitos e pensamentos descritos acima, de que o RT seria alguém necessário, cuja assinatura significa a possibilidade da abertura do negócio…mas a sua presença não seria tão indispensável assim. Daí vemos de onde surgiu o quadro que vimos hoje nas lojas…o do RT amigo que não recebe nada pelo seu serviço prestado, do RT que nem aparece no local de trabalho mas recebe no final do mês e também do RT que não aparece….e nem recebe, claro. Do profissional que aceita como honorário uma cesta básica ou até mesmo uma anuidade paga do seu conselho de origem e o que considero mais humilhante e anti-ético: o colega que atende no balcão da loja em troca da anotação da responsabilidade técnica. Este colega em questão não sabe que atender em balcão é errado…e também desconhece que exercer a função de RT e de clínico são tarefas incompatíveis quando no mesmo espaço temporal. Infrações estas sujeitas à penalidade em seu CRMV de origem.

A verdade é que nós, médicos veterinários, não aprendemos o que é SER RESPONSÁVEL TÉCNICO nas cadeiras da universidade onde nos formamos. Aprendemos a ser RT quando nos deparamos com a exigência que o mercado de trabalho nos faz, no dia a dia. Mas nem sempre da maneira certa, sem pesquisar as legislações vigentes não só no que tange a nossa profissão, mas também relacionadas à Vigilância Sanitária, Ministério da Agricultura, Conselho Nacional de Meio Ambiente, Código de Defesa do Consumidor e outras….

É uma pena que este rico nicho, carente de bons profissionais, esteja tão mal explorado em nossa profissão. O que não acontece em outras carreiras tais como médicos, farmacêuticos e biólogos, por exemplo.

Que tal começarmos então fazendo um breve estudo etimológico das palavras?
Responsabilidade: “do ato de ser responsável, responder legal e/ou moralmente por seus atos, pelo bem estar e pelos seus compromissos”.
Técnico: “…perito, expert, conhecedor, sábio, especialista”.

Portanto, o RT é o profissional que possui o conhecimento em questão, utilizando-o para dar ao consumidor a qualidade do produto final ou do serviço prestado de maneira ética e técnica, alicerçado por bases legais. Ele responde civil e penalmente por eventuais danos que possam ocorrer ao consumidor decorrentes de sua conduta profissional, uma vez caracterizada sua culpa, seja por negligência, imprudência, imperícia ou até mesmo omissão.

Em última análise, ser o RT é, acima de tudo, ser um tutor do estabelecimento veterinário no que concerne à orientação preventiva em relação à estrutura física do local de trabalho (biossegurança e saúde dos funcionários e clientes), assessoria na compra de produtos – origem e validade dos mesmos, treinamento e capacitação de funcionários, proprietários e até outros colegas e também no que diz respeito ao atendimento do consumidor final quando em dúvida sobre aquisição de produtos ou serviços oferecidos.

Rebecca Dung de Andrade é médica veterinária, CRMV RJ 6489, pós-graduada em Biossegurança e técnica em Segurança doTrabalho.

Como pode o médico veterinário vender serviços de qualidade sem assumir processos e treinamento no seu estabelecimento?

Animal Marketing

Anúncios

Sobre Animal Marketing
Animal Marketing é uma central de informações, eventos e recursos sobre gestão e marketing no Mercado Pet, e mais especificamente, na Clínica Veterinária de Animais de Companhia no Brasil. Entre em contato conosco! animal.mkt@gmail.com

One Response to Você sabe ser Responsável Técnico?

  1. Fernanda says:

    Boa noite, gostaria de saber se vocês conhecem ou recomendam algum curso de RT para petshop e clinica em SP. Obrigada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: