Boas Festas!

Este blog estará de recesso dos dias 25/12/2011 a 01/01/2012.

Aguardem grandes novidades para 2012!

Animal Marketing

Anúncios

Dez Sinais de que Está na Hora de Sair da Sua Clínica: Parte 2

Por Jennifer Koehl

Listei os cinco primeiros sinais de que é hora de sair da sua clínica veterinária na Parte 1. Os 5 sinais restantes são igualmente importantes. Sinta-se livre para listar mais sinais ou relatar experiências pessoais!

6. Cuidado em Risco com o Paciente

Os pacientes ficam em suas gaiolas sujas o dia inteiro? A tigela de água virada e sempre vazia? Se sua clínica fracassa no cuidado básico aos seus pacientes, ela nunca se destacará no cuidado médico avançado. Clínicas competentes no básico são fáceis de encontrar; encontrar clínicas que se destacam em cuidado avançado é um verdadeiro desafio.

Um grande amigo me contou sobre um pesadelo de hospital, onde colocaram a fachada de um hospital referência, até mesmo disponibilizando produtos sanguíneos. Claro, ninguém da equipe de assistência sabia como fazer uma transfusão de sangue. Junte isso com a falta de suprimentos de transfusão deles e você tem a situação perfeita para o cuidado deficiente com o paciente.

Comprometer o cuidado com o paciente, em qualquer nível, quebra acordos. Os clientes confiam seus estimados animais a hospitais veterinários, e esperam que cuidemos bem deles. Não temos outra escolha além de uma performance ótima. Se a clínica não tem seu foco no cuidado com o paciente, não se comprometa.

7. Clínica com Escassez Crônica de Funcionários

A fórmula para estresse no trabalho:

Estresse = Tarefas demais + Funcionários de menos – Cuidado com o paciente (leia o nº6)

Se a sua clínica está sempre contratando, demitindo ou perdendo funcionários, você pode ter certeza que a rotatividade é um indicador de disfunção severa ligada à liderança. Clínicas com alta rotatividade se encontram em um ciclo perpétudo de escassez de funcionários. Alta rotatividade também significa novos funcionários sem treinamento. Mas sem equipe, quem os treinará? Poucos funcionários e falta de treinamento resulta em um grande problema: cuidado com o paciente deficiente!

8. Mentiras, Mentiras e Mentiras

Seja mentir para funcionários ou clientes, negócios construídos em cima de mentiras são perigosos. Saia agora.

9. Incapacidade de Provocar Mudanças

A habilidade de provocar mudanças é vital para a sensação de contribuir com a clínica. Ter idéias de melhorias acolhidas e implementadas recompensa funcionários de raciocínio livre. Quem gosta de virar e mexer acaba frustrado quando repetidas tentativas de corrigir problemas são frustradas por uma liderança inefetiva.

Se as suas idéias e sugestões são vistas com olhares inexpressivos, ou pior, promessas de comprometimento que nunca se realizam, talvez seja hora de sair para pastos mais verdes.

10. A Vida Mudou

A fluidez da vida pode alterar suas necessidades, de tal maneira que empregos que até então eram bons podem não ser mais. Casamento, crianças, doenças e lutas familiares podem alterar suas necessidades de emprego. Nunca é errado buscar um emprego que preencha suas necessidades financeiras, com melhores benefícios, ou que ofereça as horas compatíveis com sua vida.

Se você está no mercado para um novo emprego em uma economia ruim, perseverança e criatividade são fundamentais. Torne-se mais vendável preenchendo nichos. Crie oportunidades de emprego ao invés de apenas olhar classificados. Pensar fora da caixa pode abrir as portas para a realização profissional!

Traduzido e adaptado de VMDiva

Clique aqui para ler a parte 1!

Animal Marketing

INFOGRÁFICO: Eis 8 traços importantes que um currículo não mostra

INFOGRAPHIC: Here Are 8 Important Traits That A Resume Just Can’t Illustrate

Atualmente, a principal ferramenta de procura de emprego e seleção de funcionários é o currículo. No entanto, o currículo isolado pode não ir a favor do candidato certo para um emprego. É um retrato incompleto do que a pessoa é – dará ao empregador uma noção da educação do candidato e experiência profissional, mas não revela valores específicos e traços que podem ser instrumentais para uma posição.

Como diz o ditado, “você é apenas tão bom quanto as pessoas que trabalham para você.” Portanto, é essencial dedicar tempo a encontrar a melhor pessoa para cada posição, e enxergar através do currículo.

O infográfico abaixo, elaborado pela TruYuu, um provedor online de serviços que auxilia a aqueles buscando emprego a se mostrarem mais do que um currículo para empregadores, oferece uma visão sobre os atributos que um currículo simplesmente não aborda.

Uma má contratação é mais do que um erro, podendo ser danosa ao sucesso da sua equipe e empresa. Você não gostaria de acertar de primeira?

Traduzido e adaptado de BusinessInsider.com.

Selecione a sua equipe de médicos veterinários baseando-se em mais do que qualificações!

Animal Marketing

Breve no Rio de Janeiro!

Maiores informações em http://sergiolobatopetmarketing.blogspot.com/

Invista no seu treinamento!

Animal Marketing

Histórias de Horror de um Banho e Tosa

Toda prestação de serviço possui pontos críticos, gargalos que devem ser eliminados ou atenuados para um melhor atendimento. Mas e quando um serviço parece só ter pontos críticos? É o caso do salão de banho e tosa, onde histórias de horror abundam entre clientes.

Entendemos aqui como histórias de horror aqueles casos em que o animal voltou para casa:

  • Prenhe
  • Embolado
  • Com cortes ou mutilações
  • Com carrapatos e pulgas
  • Anêmico, vomitando ou com diarréia
  • Com secreção vaginal
  • Com doenças infecto-contagiosas
  • Com infecção no ouvido
  • Não voltou, pois fugiu do banho e tosa
  • Etc

Essas histórias de horror  merecem uma atenção especial. Como já vimos neste blog, são casos onde a responsabilidade é do salão, causados por imperícia, imprudência ou negligência da equipe.

Mas e quando a sua equipe não teve culpa e mesmo assim, a história de horror existe?

É natural para qualquer salão de banho e tosa viver de acusações se ele não se previne e não transmite credibilidade em seu serviço. Isso geralmente termina na justiça, onde o salão simplesmente não tem como se defender de quaisquer acusações feitas pelo cliente, por mais mirabolantes que possam ser.

Portanto, o primeiro passo é cultivar credibilidade. É nesse ponto que o salão deve usar de todas as ferramentas possíveis para poder rebater argumentos do cliente, como:

Clique na imagem para um modelo de checklist de banho e tosa!

Check list do banho e tosa: antes de cada banho e tosa, é preciso vistoriar o animal para anormalidades no corpo, de maneira extensa, e cada particularidade do serviço deve ser anotada, seja no salão ou no táxi-dog. Se um animal não estiver em condições de saúde, em pós-operatório ou recuperação de doença, deve ser rejeitado. Pêlos embolados, unhas faltando, secreções na genitália e quaisquer outras anormalidades devem ser notificadas ao dono do animal antes do serviço.

Não admitir animais estressados: nada justifica submeter a sua equipe a um animal que precisa de focinheira para ser manejado, agressivo, que se debate e que põe em risco a integridade física e emocional dos funcionários. O animal deve estar habituado com o processo; se o animal não admitir o manejo, devolva-o ao dono. Perca o cliente, mas não comprometa a qualidade do seu serviço nem o respeito aos animais.

Não misture animais: parece óbvio, mas não é. Tenha maneiras de distinguir animais parecidos da mesma raça e sexo, como yorkshires, para não confundir serviços e entregas. Máquinas de secagem devem comportar um animal para cada box; gaiolas também. Animais em proximidade sem controle podem cruzar, ou o que é pior, brigar. Quer economizar nisso? O barato pode sair bem caro.

Treine sua equipe: invista no treinamento de todos os seus funcionários, especialmente no respeito aos animais, e não admita argumentos como “eu trabalho há mais de dez anos com tosa”. Um profissional de qualidade sempre quer aprender mais e se reciclar. Dê especial atenção para a prevenção de acidentes e fugas.

Monitore tudo: se possível, mantenha um circuito interno que filme pias, mesas de tosa e gaiolas para um máximo de controle para situações imprevistas.

Faça uso do Responsável Técnico: o médico veterinário responsável técnico deve ser capaz de protocolar uma rotina de limpeza no ambiente e equipamentos, para minimizar o risco de doenças, pulgas e carrapatos. O RT pode também treinar sua equipe sobre cuidados que deve-se ter no manejo das raças mais comuns no salão.

Avise, avise e avise: qualquer animal pode ficar nervoso pelo manejo do banho e tosa, podendo ter vômitos, diarréia ou simplesmente ficar exausto por algumas horas. Avise esse possível mal-estar antes de tudo. Também, não permita que o animal espere demais nas gaiolas, e avise o proprietário assim que estiver pronto. Nunca espere o cliente ligar preocupado, avise!

Transmita credibilidade para o seu cliente: sua equipe deve estar sempre uniformizada, e o ambiente impecavelmente limpo e organizado do ponto de vista do cliente. Inspire confiança, e você ganhará em fidelização. Invista também no seu atendimento. Você levaria o seu cão para o seu próprio banho e tosa? Confiaria na sua equipe, e teria certeza que o animal não seria agredido, não fugiria nem pegaria carrapatos? É como um restaurante: se você não tiver orgulho da própria cozinha, ninguém mais terá.

Você acha que com esses cuidados, histórias de horror ainda vão existir? Não dê brechas: previna-se.

Sucesso!

Animal Marketing