Você é um dinamizador ou um pessimista?

Por Carol Tice

A crise criou duas classes de donos de empresa. Aqueles que seguem em frente para manter o negócio crescendo, apesar do complicado cenário econômico, e aqueles que lutam. Em pesquisa, a empresa Achor Advisors os denominou “dinamizadores” e “pessimistas”.

Em um novo estudo divulgado, a Achor entrevistou mais de 130 pequenas empresas, a maioria gerenciada pelo fundador, grande parte com menos de U$10 milhões de lucro por ano. O objetivo era identificar os traços comuns de donos de empresas de sucesso, e os comportamentos que pudessem prevenir os pessimistas de melhorar.

Então, o que é necessário para ser um dinamizador na recessão? Foram encontradas cinco importantes fatores que diferenciam os dinamizadores:

  1. Trabalhe duro, jogue duro. Dinamizadores trabalhavam mais horas do que pessimistas – mas também passam mais tempo de férias.
  2. Continue conversando com clientes. Dinamizadores passavam mais tempo em contato direto com seus clientes.
  3. Não pare de pensar sobre o amanhã. Os dinamizadores dedicavam mais tempo a revisar a performance da empresa, e planejando para o futuro.
  4. Desperdício de tempo. Em empresas de sucesso, donos passavam menos tempo em reuniões e resolvendo problemas de funcionários.
  5. Rico em pensamento e crescimento. Dinamizadores tinham maior probabilidade de lerem livros de negócios e crescimento pessoal, como esforço para melhorar habilidades gerenciais e níveis de satisfação com a vida.

Sem surpresa, dinamizadores fizeram mais dinheiro do que pessimistas. Todos sabemos que reuniões podem ser um grande desperdício de tempo.

Acredito que há um fator que o estudo pode não ter quantificado, que percebi em empreendedores que ainda estão bem. É uma atitude de “não vou permitir isso me abater”, ao invés de “bem, a economia está ruim, então o negócio também”.

Traduzido e adaptado de Entrepreuner.com

No mercado pet, muitos veterinários se queixam das dificuldades do setor, embora no Brasil a taxa de crescimento do mercado pet seja de mais de 8% ao ano.

E você, é um dinamizador ou um pessimista?

Animal Marketing

Anúncios

Sobre Animal Marketing
Animal Marketing é uma central de informações, eventos e recursos sobre gestão e marketing no Mercado Pet, e mais especificamente, na Clínica Veterinária de Animais de Companhia no Brasil. Entre em contato conosco! animal.mkt@gmail.com

3 Responses to Você é um dinamizador ou um pessimista?

  1. Cleidane says:

    Dúvida…
    O que fazer quando os proprietários dos animais acusam o banho e tosa por tudo o que acontece com o animal?
    Por exemplo: A cadela sai do banho e tosa e vomita em casa, liga com desaforo acusando o pet sendo que a cadela está anemica e com carrapatos. O que fazer? Cobra a consulta? Faz de graça para agradar o cliente e arca com todas as contas?
    Outra situação: No fim da tosa o tosador observa que a cadela está com secreção purulenta vaginal, o proprietário é avisado no ato da entrega, mas no outro dia liga a mulher do dono acusando o pet de ter colocado alguma coisa na cadela e avisando que vai procurar os direitos dela caso nos recusemos a pagar todo o tratamento da cadela… Sendo que é uma provável piometra…
    Enfim… o que fazer nessas situações? Se não atente, o dono fica raivoso e perdemos clientes, mas se for viver de acusações não vamos receber nada…
    O que fazer?

    • Cleidane,

      É natural para um banho e tosa viver de acusações se ele não se previne e não transmite confiabilidade em seu serviço.

      Todo salão banho e tosa precisa tomar a dianteira quanto à reclamações do cliente, e se prevenir inclusive legalmente. Onde está a check list do banho e tosa nos casos que você descreveu? Antes de cada banho e tosa, é preciso vistoriar o animal para anormalidades no corpo, de maneira extensa, e cada particularidade deve ser anotada e avisada, seja no salão ou no táxi-dog. Se um animal não estiver em condições de saúde, deve ser rejeitado.

      O banho e tosa também precisa se prevenir ao máximo quanto a acidentes e carrapatos em seus ambientes e transportes, e fazer uso de um médico veterinário para instruir funcionários quanto a vistorias em animais e assepsia de equipamentos e ambientes. Filmar em circuito fechado a atividade do banho e tosa, inclusive gaiolas, também é interessante.

      Uma vez consumado o problema, se o salão de banho e tosa não tiver se prevenido com essas medidas, há pouco o que argumentar e o cliente terá toda a razão para exigir seus direitos. No caso dos carrapatos e vômito, já haviam carrapatos antes do banho? A cliente foi avisada antes de tudo que o banho e tosa é uma situação estressante para o animal, e que ele pode exibir vômito por algumas horas após o processo? No caso da possível piometra, o animal foi vistoriado antes da tosa? Se foi, por que foi aceito?

      Até que ponto o seu banho e tosa previne essas acusações? Se não houver controle total do ambiente e fluxo de animais no banho e tosa, ficamos fadados a pagar compensações e tratamentos por problemas muitas vezes sem relação com centro estético.

      Esse assunto será tema do post de amanhã e será abordado de forma mais extensa.

      Abraços!

      Animal Marketing

  2. Cleidane says:

    Agradeço a resposta. Já tenho uma ficha de controle, mas gostaria de outros modelos. Se possível, coloque um no próximo post.
    Obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: